Tempo estimado para leitura: 3 minutos.

A Rua 4 talvez seja a mais importante das ruas, hoje, da cidade de Itirapina. Mas, com a sua elevada importância, há, também, uma série de problemas que estão se acumulando por causa do crescimento da cidade.

A Rua 4 é, hoje, a única rua que une os dois lados das linhas de trem que se possa fazer seu deslocamento através de veículos de mais de duas rodas. Já conhecemos a história de quando tentaram abrir a Rua 5 e os problemas advindos da Rumo, Ministério Público e a cidade em uma administração municipal passada. Para alguns, à época, foi uma boa alternativa ao movimento incessante da Rua 4, ao mesmo tempo em que se denunciava os perigos da falta de visão e sinalização, além de outros tipos de infraestrutura, para quem trafegava pela via recém liberada.

Hoje, enquanto o mini anel viário planejado pelo prefeito ainda não está em construção ou a ponto de ficar pronta, a Rua 4 faz a interligação do centro da cidade com os demais bairros mais populosos da cidade, como toda a aglomerado do bairro Nova Itirapina. Mas você já sabe disso.

Com todo o movimento de trens, que cresceu bastante com o tempo e, também, com a construção do terminal intermodal da Rumo, a Rua 4 fica quase intransitável após a passagem das locomotivas. Veículos de segurança ficam parados, veículos de emergência da saúde precisam esperar e após tudo isto, há de se esperar a passagem de grandes caminhões que insistem em passar por ali.

Quando um trem termina de passar, geralmente, já há outro para ocupar aquela seção da ferrovia, seja para ir ou vir de alguma das direções. Os mais apressados jogam seus carros sobre os trilhos para não ter que esperar novamente. Vira um caos e novamente é necessário esperar.

No trecho entre a Rua 4, que se estende entre as Avenidas 2 até a 8, o caos se instala e causa uma grande lentidão, que para atravessar, às vezes, demora mais de 15 minutos, ficando ainda pior para quem está parado na Avenida 4, que não tem preferência para virar para algum dos lados enquanto todo o movimento da Rua 4 não terminar ou que alguém permita a passagem.

O PROBLEMA DAS CARGAS/DESCARGAS

Para amenizar alguns problemas, foram instaladas várias placas ao longo deste trecho, onde ou é proibido estacionar ou fica delimitado o estacionamento para carga ou descarga. Vindo da Vila Garbi e seguindo para o Centro, não é permitido estacionar em nenhum ponto deste trecho citado, ou seja, sequer é permitido a parada para descarregar, fazendo com que um dos sentidos sempre tenha o transito fluido de veículos.

Convenhamos, várias vezes há, naquele trecho, caminhões descarregando em horário de pico, fazendo com que haja uma interrupção do tráfego, tendo que esperar a outra via para contornar os veículos. Entretanto, o comércio precisa se reabastecer.

Existem opções de carga e descarga em horários específicos justamente para não atrapalhar o fluxo. Esta é uma medida utilizada em quase todas as cidade da região e é, sobretudo, uma medida normal. Basta gerar um estudo de viabilidade para esta alternativa e se adequar.

Muito trânsito

O PROBLEMA DE ESTACIONAR PARA IR NO COMÉRCIO

Conforme a última sessão da Câmara, realizada nesta terça-feira (26), vários dos vereadores receberam reclamações sobre as placas de proibição de estacionar neste trecho, justamente por conta da perda de clientes que a falta de estacionamento ocasiona ao comércio na Rua 4.

Para essa questão, há vários pontos a se considerar a respeito das proibições:

  • Benefícios: o trafego de veículos fica fluido, reduzindo a espera de quem precisa passar e não consegue por conta de ter que dividir a via com veículos grandes, como ônibus ou caminhões, quando se tem outros veículos estacionados.
  • Malefícios: o comércio perde alguns clientes porque estes não querem ter que estacionar há pelo menos 50 metros de distância do comércio.

Talvez a proibição restrita em determinados horários devesse ser estudada para este problema, entretanto, mesmo a solução já posta resolve parte do problema.

IDOSOS

Também foi apontado, na sessão da Câmara, que vários dos moradores deste trecho são idosos e que os mesmos requerem cuidados maiores para a questão do deslocamento.

Essa é uma questão importante, mas tanto para entrar na garagem quanto para poder fazer o deslocamento de idosos parando ao lado da casa, deveria haver uma exceção para que, nestes casos, fosse passível sem que contrarie a lei de “proibido parar ou estacionar”. Em outra palavra: adaptação.

A questão é que a Rua 4 precisa ser discutida há algum tempo, de maneira que comporte uma solução, mesmo que parcial, para todos os problemas que estão se acumulando com ela.

E você, sugere o quê?