Portaria do Broa deverá voltar a cobrar para entrar no balneário


Tempo estimado para leitura: 1 minuto.

Após ser convocada uma audiência pública, pela Prefeitura Municipal de Itirapina, para a manhã deste sábado (23) e discutir a cobrança para entrar no balneário, finalmente foi chegada à uma decisão.

A audiência pública, que foi realizada nas dependências da Associação de Moradores e Proprietários no Broa (APIB), envolveu, além da associação, o prefeito José Maria, seus secretários e assessores, vereadores e também seus assessores. Como parte muito importante do processo de discussão sobre o balneário, muitos moradores e proprietários de imóveis estiveram presentes para decidir quanto à cobrança pela portaria do broa.

Foi decidido que a portaria deverá voltar a ser cobrada, mas, agora, como taxa de conservação ambiental e, no local, com aproximadamente 100 pessoas presentes, apenas 4 delas foram contrárias à esta decisão.

Após muito debate, simulações e sugestões de como essa cobrança se dará, a reunião foi finalizada com a missão de que a prefeitura possa elaborar um estudo e enviar à Câmara Municipal, para que seja analisado e retornar para o Poder Executivo com as considerações para que, então, seja criada uma lei efetiva sobre as questões abordadas.

“Precisamos avaliar os diversos aspectos, para que essa nova lei beneficie os moradores, proprietários de imóveis, comerciantes e promova um turismo sustentável, com geração de emprego e renda, sem danificar o meio ambiente”, considerou o prefeito José Maria.

Vale ressaltar que a represa do Broa é uma das maiores represas de água doce do Estado de São Paulo, com suas águas classificadas como excelente para banho e recreação (lazer), de acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). A portaria já não estava cobrando a entrada de turistas desde o mês de abril de 2018.

[Informações extraídas da página da Prefeitura Municipal de Itirapina]