Itirapina tem, ao menos, 27 tipos de agrotóxicos em sua água potável


Tempo estimado para leitura: 2 minutos.

O Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano, também conhecido como SISAGUA, é remetido ao Ministério da Saúde e mantêm informações importantes sobre questões relacionadas ao abastecimentos de água das cidades e, em seu último levantamento, trouxe algumas informações muito preocupantes.

Em todo o Brasil, do ano de 2014 à 2017, foram feitas mais de 854.140 testes para a verificação da potabilidade da água e questões referentes à isto. E os dados são realmente alarmantes, principalmente quando consideramos o fato de que foram detectados agrotóxicos acima dos limites estipulados pelos órgãos reguladores e também porque eles são causadores de doenças.

Segundo o controle semestral do SISAGUA, na cidade de Itirapina foram encontrados, na água potável, todos os 27 tipos de agrotóxicos que foram procurados, ou seja, quando você bebe um copo de água da torneira em Itirapina, você também está consumindo, possivelmente, mais 27 tipos de agrotóxicos junto.

PERIGOS ESCONDIDOS NA ÁGUA

Agrotóxicos são substâncias realmente perigosas. Quando espalhados por plantações, muitas vezes contaminam, também, rios e poços, assim como bacias subterrâneas de água.

Muitas dessas substâncias são altamente nocivas à saúde humana, tal como o Alacloro. O herbicida está na lista da Pesticide Action Network (PAN) avaliado como Altamente Perigoso. O alacloro é classificado pela União Europeia como uma substância com evidências de causar distúrbios endócrinos, que afeta o sistema hormonal. Os sintomas da exposição ao agrotóxico são náusea, vômito e enjôo. Nos casos mais graves ocorrem colapso e coma, segundo a Cetesb (Companhia Ambiental de São Paulo).

No Brasil, o Carbendazim + Bemonil, também encontrado em Itirapina, é usado para combater a praga pinta preta (também conhecida por seu nome em inglês “black spot”), que deixa manchas escuras nas folhas de laranjais. Em 2012, os EUA proibiram a importação do suco de laranja brasileiro devido à presença deste fungicida nos produtos. A União Europeia classifica também estes dois agrotóxicos como prováveis causadores de problemas mutagênicos, que pode causar dano no DNA, e tóxico para o sistema reprodutivo.

Vale ressaltar que muitas das substâncias encontradas sequer são legais ou passíveis de utilização, ou seja, considerando os danos causados ao meio ambiente e à saúde humana, vários desses agrotóxicos são proibidos no Brasil, assim como em vários países do mundo.

Você pode conhecer e ler mais sobre à respeito de todos esses agrotóxicos encontrados em Itirapina clicando aqui!

Segundo o infográfico abaixo, retirado do site portrasdoalimento.info, podemos ter uma noção das amostras e detecções encontradas na cidade:

Fora o fato de já ter detectado os agrotóxicos na água potável da cidade, existe um problema agravante que é a concentração dessas substâncias que foram constatados.

Quanto maior o consumo dessas substâncias, maior é o risco de se desenvolver alguma doença.

Vale lembrar que, logo após a tomada da presidência do Brasil por Michel Temer, já houve a liberação de, pelo menos, 1200 novos agrotóxicos no Brasil. Desde então, é como se liberassem 3 novos agrotóxicos a cada 2 dias que se passam.

A ministra da agricultura, Tereza Cristina, continua liberando a utilização descarada de agrotóxicos no Brasil, chamando-os de “remédio para planta”, ela se esquece que não adianta cuidar da planta se a saúde do povo é quem sofre com isto tudo.

[Fonte: SISAGUA e portrasdoalimento.info]