Governo do Estado pretende renovar concessões rodoviárias da região


Tempo estimado para leitura: 1 minuto.

O governo do Estado de São Paulo, comandado por João Doria, pretende renovar as concessões das rodovias da região que estão com contratos para vencer, além de avançar com contratos que já haviam sido aditivados.

Em Davos, governador diz que pretende avançar com contratos das estradas Anchieta/Imigrantes e Bandeirantes/Anhanguera.

Para tanto, o governador exigiu uma série de investimentos do setor privado, como a ampliação das rodovias, fazer estradas vicinais, além de outros aperfeiçoamentos. “Ao longo dos últimos 15 anos, municípios que eram pequenos se tornaram médios, e médios viraram grandes. Então, precisa fazer alças de acesso e vias auxiliares. Além disso, todas as rodovias concessionadas serão nas saídas e entradas, iluminadas e monitoradas eletronicamente. Isso será obrigatório, em todas” afirmou o governador. Até o final do seu mandato, contratos de quatro estradas devem expirar.

Em 2019, serão duas: a Autovias, que liga Ribeirão Preto a 18 cidades, e a Centrovias, uma malha viária de 218,2 quilômetros de extensão, que engloba as rodovias Washington Luís (de São Carlos a Cordeirópolis), Engenheiro Paulo Nilo Romano (de Itirapina a Jaú) e Comandante João Ribeiro de Barros (de Jaú a Bauru).

Doria ainda lembrou que as privatizações, no Estado de São Paulo, começaram pelas rodovias e que o histórico das concessões são muito bem sucedidas. “Das vinte melhores rodovias no Estado, 18 são estaduais. São as melhores porque são privadas.”

[Informações: Folha]