O que muda para Itirapina com a abertura da fábrica da Honda?


Após 2 anos parada, a Honda anunciou que finalmente iniciará a produção de automóveis em sua fábrica em Itirapina quando começar a transferir sua produção da unidade de Sumaré.

Sabe-se também que a fábrica de Sumaré não irá fechar, pois continuará a produzir motores e outros componentes de sua linha de montagem. Esta mudança deverá começar em 2019 e será finalizada até 2021, quando toda a linha de produção de veículos estará operando em Itirapina.

A princípio será produzido o modelo Honda Fit na unidade de cá e gradativamente serão introduzidas os outros modelos da unidade de Sumaré, tais como Civic, City, HR-V e WR-V.

Considerando que os funcionários de lá serão transferidos para cá, devemos esperar por uma nova debandada de famílias para a cidade de Itirapina, o qual impactará o comércio local, algo que era esperado desde 2016 quando a planta de produção foi concluída, mas que não entrou em operação.

Mercado imobiliário

Com a transferência de funcionários da cidade de Sumaré para Itirapina, o impacto principal será no mercado imobiliário. De início, com os funcionários vindo para cá, haverá uma demanda de moradias próximo ao local de trabalho e considerando a localização, a cidade de Itirapina é a candidata óbvia para suprir isto.

Ajuda muito o fato de haver dois loteamentos a venda, dando a oportunidade para se construir uma nova casa aos novos possíveis moradores. Entretanto, haverá uma demanda maior por casas já construídas e prontas para locação ou venda.

Haverá uma demanda gradual de casas entre 2019 até 2021, quando todos os funcionários de Sumaré deverão migrar e se instalar em Itirapina ou cidades da região.

Comércio local

O principal impacto positivo será no comércio da cidade, quando haverá um aumento na demanda de produtos dos mais variados, mas principalmente de bens de consumo normal.

Com a vinda de uma mão de obra qualificada, espera-se que o consumo de todos os tipos de produtos aumentem, principalmente os de uso comum do dia a dia. Produtos alimentícios, tais como os de mercado, padaria, açougues, varejão, produtos de higiene, encontrados também em mercados, farmácias e cosméticos, deverão ser a mais impactada. De tal forma, o aumento de demanda para estas áreas comerciais podem ser permanentes ou em aumento constante.

Produtos de consumo como combustíveis também estarão em alta, porém, itens como móveis e eletrodomésticos devem ter uma demanda maior, mas que impactará pontualmente no comércio local, ou de forma gradativa até que todos os funcionários de Sumaré já estejam na cidade.

Serviços

Além do setor de serviços públicos, como de segurança, saúde, saneamento e educação, o setor privado também deverá correr atrás de melhorar sua capacidade de suprir novas demandas, tais como telefone, Internet, advocacias, serviços de clínicas de saúde, serviços de beleza em geral, entre outros.

O setor de serviços talvez seja o que mais tenha alta de sua demanda, visto que com a chegada da população, isto deverá se tornar uma demanda permanente.

Serviços de transporte de uma forma geral terão de se adaptar à demanda das novas famílias que poderão querer se locomover de forma mais econômica entre as cidades, tanto à trabalho quanto à educação, no caso de escolas e faculdades. Mesmo a demanda por transporte local deverá aumentar, tal como para se locomover para a fábrica da Honda e a cidade.

Restaurantes, lanchonetes, entre outros do mesmo ramo, começarão a sentir a demanda assim que se instalarem as novas famílias.

Tais prestação de serviços deverão provê-los com qualidade, pois serão essenciais para que o crescimento local possa efetivamente acontecer.

Pontos a se considerar

Serviços e comércio

Existem reclamações por parte dos moradores e até mesmo de pessoas de fora, dos preços praticados por alguns comércios locais e, também, por serviços na cidade.

Sabemos que não é algo generalizado, mas que mancha a imagem da cidade e dos próprios comerciantes da cidade. O debate incide principalmente sobre os valores que são cobrados por itens comerciais básicos, como itens de vestuário e produtos de supermercado, além dos praticados pelos prestadores de serviços, tais como os de algumas clínicas de saúde.

Imobiliário

Há de se considerar que existem discrepâncias absurdas no mercado imobiliário local.

Muitas casas que estão para locação na cidade estão em condições precárias, mas possuem valores contratuais absurdamente altos. Outras casas, consideradas extremamente pequenas, também possuem discrepâncias muito altas para que um morador comum consiga alugar. Considerando a realidade do país e a realidade das condições salariais do cidadão comum, ao qual provavelmente não possui um salário alto, é necessário que se revise os valores de locação para que ambos, locador e locatário, saiam com vantagens.

Turismo

Itirapina ainda peca com relação ao turismo para várias cidades da região.

Para se hospedar na cidade, não podemos fazer muitos planos, pois há poucas opções, isto quando já não estão com os quartos reservados. A maioria dos turistas são induzidos a se hospedarem em outras cidades da região, como Brotas e Águas de São Pedro.

As opções de lazer para o turista, e morador local também, são reduzidas às lanchonetes e restaurantes que funcionam durante o dia e outros durante a noite. Dentro da cidade não há nenhum empreendimento voltado especificamente para a diversão que, inclusive, funcione durante os finais de semana (dia e noite) como pontos de encontros, tais como bares temáticos, pubs, boliches, cinemas, entre outros.

Ainda que os moradores da cidade estejam batalhando e tendo conquistas importantes para o município, tanto a história da cidade, como referência dos anos áureos da ferrovia, quanto as belezas naturais são pouco exploradas ou divulgadas, ou quando acontece, ficam atrelados ao nome de outras cidades da região.

Apesar dos grandes passos que já foram dados, é necessário uma união maior entre os comerciantes locais, provedores de serviços e dos moradores para que o setor melhore e seja mais explorado, sem esquecer que é necessário um comprometimento maior em relação à investimentos para este setor dos órgãos públicos.

Morro do Fogão

[Fontes consultadas: Carsale, Carros UOL, Istoé, G1, Economia Estadão]