Honda compensará demanda em Itirapina com energia sustentável


A Honda vai construir um novo aerogerador na usina eólica de Xangri-lá, no Rio Grande do Sul, para dar conta da demanda de utilização de energia elétrica para manter suas fábricas operando.

Em Xangri-lá já há outras nove torres construídas que geram 27,7 MW de energia por hora. Elas já abastecem as fábricas de Sumaré, onde são produzidos o HR-V, WR-V e o Civic, além da sede da empresa em São Paulo, no Morumbi e de sua operação logística em todo o país.

Com o início das operações da fábrica de Itirapina, haverá uma demanda maior de energia e a empresa prefere manter a matriz de energia sustentável como principal fator de abastecimento.

A nova torre custará o equivalente a R$ 20 milhões e o investimento acaba se pagando em torno de sete anos.

Segundo o presidente da Honda, Carlos Eiji, que administra o parque eólico de Xangri-lá, no período de estiagem a energia elétrica fica mais cara por causa da troca da matriz de geração de energia, do hidroelétrico para o termo-elétrico, de tal modo que a utilização da geração eólica, além de reduzir as emissões, também evita os altos e baixos do fornecimento.

Como um todo, os investimentos em seu parque de energia eólica em Xangri-lá já ultrapassa a marca dos R$ 100 milhões. Com isto, a empresa já deixa de emitir mais 2,2 mil toneladas de CO2 na atmosfera por ano. As operações do parque eólico da Honda começaram em 2014.

[Fonte: AutoInforme/O mundo em movimento/Motor1]